VITÓRIAS E NÚMERO DE FINALIZAÇÕES NO FUTEBOL PROFISSIONAL

Por Fabio Aires da Cunha

 . 

Introdução e Objetivos

O futebol moderno deixou de ser apenas uma diversão ou forma de exercício físico, para se tornar uma profissão. Como todas as profissões, o futebol exige resultados positivos e esses resultados são alcançados por meio das vitórias e títulos. Para conquistar as vitórias é necessário definir objetivos para se chegar ao gol. Uma das maneiras de marcar um gol, por mais óbvio que possa parecer, é finalizando contra o mesmo.

Este trabalho visa relacionar o número de finalizações com os resultados positivos e negativos de uma equipe profissional. Tenta-se provar que o maior número de finalizações é determinante para o resultado da partida e se existe uma correlação das vitórias com o número de finalizações.

.

Material e Métodos

Este trabalho é do tipo exploratório, que consiste numa análise de dados coletados por meio de observação de partidas de futebol.

Sujeitos

Fizeram parte deste estudo, equipes de futebol profissional do Brasil e do exterior e, seleções nacionais. No total foram observadas 159 equipes e 26 seleções nacionais.

Coleta de Dados

Os dados foram coletados junto às emissoras de televisão abertas e fechadas que transmitiram as partidas. Esse período de coleta de dados compreendeu de 15 de fevereiro a 21 de dezembro de 2003.

Instrumento de Pesquisa

Foi elaborada uma ficha simples de coleta dos dados, que incluía os dados referentes à partida, como: data, local, equipes, placar e a coleta do número de finalizações de cada equipe durante a partida.

Procedimentos da Pesquisa

Após a definição dos objetivos do estudo e da metodologia a ser empregada, as partidas foram observadas e os dados coletados. Não foram levadas em consideração partidas realizadas entre seleções estaduais ou regionais, partidas entre combinados e jogos amistosos, pois o caráter de festa e falta de responsabilidade poderia acarretar num desempenho insatisfatório.

Alguns aspectos foram considerados para se estabelecer o que é ou não uma finalização. A finalização é qualquer ato voluntário realizado com os pés, cabeça ou corpo, exceto com as mãos e braços, contra a meta adversária.

Não foram considerados como finalizações:

  • Cruzamentos ou cobranças de escanteio que foram direto à meta;
  • Bolas lançadas contra a própria meta;
  • Bolas que foram prensadas (divididas) logo após o momento do chute;
  • Bolas lançadas contra a meta adversária de forma involuntária, ou seja, se a bola rebater num jogador e for em direção ao gol.

.

Foram analisadas partidas de diversos campeonatos entre clubes e seleções, sendo competições estaduais, regionais, nacionais e internacionais. As competições analisadas foram (entre parênteses estão os números de partidas analisadas em cada torneio):

  • Campeonato Alemão 2002/2003 – 1ª divisão (2);
  • Campeonato Alemão 2003/2004 – 1ª divisão (4);
  • Campeonato Brasileiro 2003 – série A (72);
  • Campeonato Brasileiro 2003 – série B (40);
  • Campeonato Brasileiro 2003 – série C (6);
  • Campeonato Espanhol 2002/2003 – 1ª divisão (9);
  • Campeonato Espanhol 2003/2004 – 1ª divisão (8);
  • Campeonato Francês 2003/2004 – 1ª divisão (1);
  • Campeonato Inglês 2003/2004 – 1ª divisão (1);
  • Campeonato Italiano 2003/2004 – série A (7);
  • Campeonato Paulista 2003 – 1ª divisão – série A-1 (5);
  • Campeonato Paulista 2003 – 1ª divisão – série A-2 (2);
  • Campeonato Paulista 2003 – 2ª divisão – série B-1 (10);
  • Copa da Itália 2002/2003 (1);
  • Copa das Confederações 2003 (9);
  • Copa do Brasil 2003 (9);
  • Copa do Estado de São Paulo 2003 (10);
  • Copa Ouro 2003 (6);
  • Copa Sul-Americana 2003 (17);
  • Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2006 (6);
  • Eliminatórias para a EURO 2004 (7);
  • Liga dos Campeões da UEFA 2002/2003 (17);
  • Liga dos Campeões da UEFA 2003/2004 (32);
  • MLS – Major League Soccer 2003 (2);
  • Taça Libertadores da América 2003 (23);

.

Nas partidas analisadas foram levados em consideração somente os tempos normais (com acréscimos) de jogo. Não foram consideradas possíveis prorrogações para o tempo, o resultado e disputa de penalidades máximas para o resultado final.

Tratamento Estatístico

Os dados foram tabulados manualmente. Todas as 306 partidas observadas foram utilizadas na análise estatística. Todos os dados foram verificados como parte de um procedimento de avaliação de análise crítica da qualidade de preenchimento dos mesmos.

.

 .

Resultados

.

Foram observadas 306 partidas durante o ano de 2003. Dessas partidas observadas, 230 tiveram um vencedor e 76 terminaram empatadas. Do total das partidas observadas, 18 foram realizadas em campo neutro (14 tiveram um vencedor e 4 terminaram empatadas).

.

Partidas com mando de campo (288)

Partidas que o mandante venceu – 133 (46,18%)

Partidas que o mandante perdeu – 83 (28,82%)

Partidas terminadas em empate – 72 (25,00%)

.

Partidas com mando de campo em que houve um vencedor (216)

Partidas que o mandante venceu – 133 (61,57%)

Partidas que o visitante venceu – 83 (38,43%)

.

Partidas com vencedor (230)

Partidas que a equipe vencedora finalizou mais – 138 (60,00%)

Partidas que a equipe vencedora finalizou menos – 83 (36,09%)

Partidas que as duas equipes finalizaram a mesma quantidade – 9 (3,91%)

.

Partidas com mando de campo terminadas com vencedor (216)

Partidas que o mandante finalizou mais – 146 (67,59%)

Partidas que o mandante finalizou menos – 61 (28,24%)

Partidas que as duas equipes finalizaram a mesma quantidade – 9 (4,17%)

.

Partidas com mando de campo terminadas em empate (72)

Partidas que o mandante finalizou mais – 51 (70,83%)

Partidas que o mandante finalizou menos – 17 (23,61%)

Partidas que as duas equipes finalizaram a mesma quantidade – 4 (5,56%)

.

Partidas com mando de campo (288)

Partidas que o mandante finalizou mais – 197 (68,403%)

Partidas que o mandante finalizou menos – 78 (27,083%)

Partidas que as duas equipes finalizaram a mesma quantidade – 13 (4,514%)

.

Partidas terminadas com vencedor (230)

As equipes mandantes finalizaram em média 15,15 vezes ao gol

As equipes visitantes finalizaram em média 11,97 vezes ao gol

.

Partidas terminadas empatadas (76)

As equipes mandantes finalizaram em média 15,30 vezes ao gol

As equipes visitantes finalizaram em média 10,74 vezes ao gol

.

Média de finalizações geral (306)

As equipes finalizaram em média 13,42 vezes ao gol

As equipes que venceram as partidas finalizaram em média 14,49 vezes ao gol

As equipes que perderam as partidas finalizaram em média 12,62 vezes ao gol

.

Média de finalizações em partidas com mando de campo (288)

As equipes mandantes finalizaram em média 15,34 vezes ao gol

As equipes visitantes finalizaram em média 11,62 vezes ao gol

.

Quadro 1: Relação entre o mando de campo e o resultado da partida

 

Partidas

Porcentagem (%)

Mandante finalizou mais e venceu

99

34, 37

Mandante finalizou mais e perdeu

47

16,32

Mandante finalizou mais e empatou

51

17,71

Mandante finalizou menos e venceu

29

10,07

Mandante finalizou menos e perdeu

32

11,11

Mandante finalizou menos e empatou

17

5,90

Mandante finalizou igual e venceu

5

1,74

Mandante finalizou igual e perdeu

4

1,39

Mandante finalizou igual e empatou

4

1,39

TOTAL

288

100

.

Nas 306 partidas observadas, as 612 equipes envolvidas marcaram um total de 875 gols. A média de gols marcados foi de 2,86 por jogo.

Quadro 2: Quantidade de gols marcados em cada jogo por cada equipe

Gols na partida

Número de equipes

0

161

1

203

2

129

3

81

4

26

5

7

6

4

7

0

8

1

875

612

.

Quadro 3: Número de finalizações em cada jogo por cada equipe

Número de finalizações

Número de equipes

3

2

4

5

5

11

6

27

7

31

8

38

9

36

10

37

11

50

12

44

13

49

14

38

15

44

16

40

17

33

18

24

19

30

20

20

21

14

22

9

23

10

24

6

25

5

26

4

27

1

28

2

30

1

38

1

 

612

.

.

Discussão

Analisando os resultados obtidos, constatou-se que a diferença de finalização entre as equipes que venceram as partidas e as equipes que perderam as partidas foi de 12, 90% em favor das vencedoras.

Com relação ao total de partidas com mando de campo, as equipes mandantes finalizam em média 24,25% a mais que as equipes visitantes.

Nas partidas terminadas com vencedor, as equipes que detinham o mando de campo finalizaram em média 20,99% a mais que as equipes visitantes.

Nas partidas terminadas empatadas, as equipes que detinham o mando de campo, finalizaram em média 29,80% a mais que as equipes visitantes.

Nas partidas com mando de campo, as equipes mandantes finalizaram mais em aproximadamente 68% das partidas e as visitantes em aproximadamente 27%. Essa diferença demonstra a importância do local do jogo para o número total das finalizações.

Com relação ao mando de campo, pode-se constatar uma diferença significativa. As equipes mandantes venceram 61,57% das partidas e as visitantes venceram 38,43% das partidas.

Outra diferença significativa foi encontrada nas partidas com vencedor. As equipes que venceram finalizaram mais em 60% das partidas, enquanto que as derrotadas finalizaram mais em 36% das partidas.

O número de gols que mais acontece é em número de 1 – 203 vezes (33,17%); seguido por 0 – 161 vezes (26,31%) e 2 gols – 129 vezes (21,08%).

Quanto às finalizações, a que mais aconteceu foi em número de 11 – 50 vezes (8,17%); seguido por 13 – 49 vezes (8,01%) e, 12 e 15 – 44 vezes cada (7,19%).

.

.

Conclusões

1 – As equipes que venceram as partidas finalizaram em média mais que as equipes que foram derrotadas.

2 – As equipes que detinham o mando de campo finalizaram em média mais que as equipes visitantes.

3 – O fator mando de campo é importante no resultado final das partidas.

4 – Quando se alia o mando de campo com o maior número de finalizações, as equipes têm grande chance de vencer a partida.

.

.

2004

 

Os comentários estão encerrados.